Ervas Nossas de Cada Dia

As ervas são usadas desde a antiguidade com as mais diversas finalidades para os seres humanos, desde remédios, perfumes, incensos e purificação das energias de pessoas e ambientes até temperos e benzimentos. O homem é parte intrínseca dessa constituição e por isso as propriedades das ervas tanto efeito tem sobre nós.

O uso das ervas passou por diversas fases na história da humanidade, desde ser uma das únicas fontes de força na ancestralidade quando o ser humano vivenciava a natureza como um todo até o momento em que houve uma quase que total negação, pois passou a ser vista como crendice popular e, portanto, recurso inválido de uso.

Ervas na Vida

Se não fosse pela tradições ligadas a natureza, como as benzedeiras, índios e botânicos, talvez tivéssemos perdido tamanha riqueza. Hoje são universidades e cientistas, principalmente da indústria farmacêutica que se dedicam ao estudo das propriedades medicinais das plantas.

Além das propriedades físicas, temos hoje estudos que hoje vão além da parte molecular química (para uso farmacológico), temos cientistas vibracionais, correlatos à física quântica, que buscam entender os corpos sutis das plantas e como eles agem sobre nossas emoções e energia, quebrando e desfazendo bloqueios energéticos que nos impedem muitas vezes de abandonar vícios de comportamento que tanto queremos, mas não conseguimos sozinhos.

É desse principio que surgem os florais extraídos de flores específicas, hoje provados como remédios curadores pela ciência de Masaru Emoto e as incríveis descobertas que fez com os cristais de água. Esses cristais mudam em forma, tamanho e cor de acordo com a energia ambiental ao redor. Centenas de testes foram feitos com músicas, orações e palavras e os resultados estão em livros publicados pelo cientista. De todo esse apanhado, pra mim o principal aprendizado vem de uma frase utilizada no filme “Quem Somos Nós”, onde nós somos lembrados de que nosso corpo e órgãos são constituídos por 90% de água e se pensamentos podem fazer mudanças na água, imagine o que podem fazer em nós.

A água em contato com as flores passam por um processo específico descoberto pelo médico inglês Dr. Edward Bach que iniciou a produção de florais na Inglaterra no ano de 1930 (história completa aqui) e hoje nos possibilita trabalhar com diversas linhas e características geográficas.

As plantas possuem um campo vibracional, assim como nós. Sabe aquela sensação que temos ao chegar perto de algumas pessoas de algo vai mau, mesmo que ela aparente estar bem? Isso é a vibração que ela emite e todo ser vivo tem, a diferença é a intensidade, sendo em plantas e minerais algo muito mais sutil que no ser humano. Boa parte das características vibracionais das plantas pode ser feita pela observação de Goethe (sim, o pintor), que ensinou em sua obra “Metamorfose das Plantas” como podemos através do olhar a natureza entender ciclos pelo ritmo natural da vida. Para Goethe a classificação das plantas deveria ser feita por esse “algo a mais” que elas nos fornecem, além apenas da parte física. Os estudos de Goethe são parte da Antroposofia de Rudolf Steiner.

Metamorfose das Plantas - Goethe
Metamorfose das Plantas – Goethe

A minha intenção aqui foi trazer informações que mostrem o quão profundo pode ser o estudo e entendimento de algo que ao caminharmos em um parque pode passar despercebido. A natureza é tão rica que nossas mentes ainda não alcançam seu vasto território.

Na Umbanda, Candomblé, Catimbó e ritos indígenas, as plantas são base da vida e nada acontece sem seu uso e sem as forças que elas transmitem. Banhos ajudam a harmonizar a energia vital e as emoções, além de remover impurezas energéticas geradas pelos pensamentos e pelo ambiente. Queima das ervas purifica o ambiente e pode ser associada a orações e músicas para facilitar o trabalho de limpeza astral. Seu uso no preparo de alimentos pode tornar nossas refeições verdadeiros banquetes preventivos a doenças e males em geral. Falar no uso como medicamento acabaria sendo repetitivo, mas porque não colocar novamente, não é? A extração dos óleos essenciais da aromaterapia só existem porque as plantas estão ai. Até mesmo em funerais sua presença é indispensável seja para uma despedida ou para amenizar o ambiente.

Uso das ervas para limpeza de ambientes e energias

Cada erva pode ter um efeito diferente em cada pessoa, afinal todos temos energias diversas, por isso é importante, antes de se aventurar pela experiências dos banhos, em fazer uma breve pesquisa sobre a planta, suas propriedades ou mesmo pedir indicação de alguém com experiência, pois a função dos banhos (e chás e etc) é promover o bem estar e saúde, mas dependendo do caso pode atrapalhar.

Plantas são vida e como irmãs mais velhas nos ajudam a trilhar o caminho dos erros da humanidade até que estejamos aptos e sermos independentes e possamos conviver harmoniosamente com todas as formas de existência que há que, ao meu ver, são formas irmãs, vindas da mesma fonte de vida e que com imenso amor ainda suportam nossas agressões, pois faz parte do aprendizado, mas isso não há de durar para sempre e aos poucos já estamos sentindo a natureza responder à altura de nossos equívocos.

Um grande abraço herbáceo a todos,

Stela

Banhos de ervas na umbanda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s