Categorias
Uncategorized

O Que é a Doutrina das Assinaturas Botânicas

Falar em aromaterapia e não explicar o que é a doutrina das assinaturas botânicas, bem como suas origens junto aos povos ancestrais é como tirar as nadadeiras de um peixe e querer que ele nade adequadamente.

Os povos ancestrais observavam a natureza para buscar cura e respostas às suas dúvidas, e suas tecnicas profundas de contato com formas sútis de informação, hoje estudadas pela Física Quântica, foram trazida para os dias atuais, inicialmente por Paracelso, depois por Goethe  no desenvolvimento da Fenomenologia e por Dr. Bach nos estudos florais.

O estudo das Doutrinas das Assinaturas Botânicas, consiste na observação das plantas com relação às suas características de crescimento e sua forma de interação com o mundo, buscando entender na forma física da planta e na sua função orgânica, a expressão do conhecimento intuitivo e energético que ela terá na saúde humana emocional e espiritual.

Nos cursos de Aromaterapia sempre que conduzo as meditações busco lembrar as alunas do grande valor que o mistério vegetal tem intrínseco em sua expressão, cada planta vive exatamente pela sua função a qual foi criada, ela não tenta ser o que a planta vizinha é, ela simplesmente é, e isso é algo que a humanidade ainda não alcançou, porque ainda desconhecemos nossas essências, ou como é chamado no Xamanismo, a medicina de nossas almas ainda é oculta, por falta de autoconhecimento e por isso mesmo, temos tanto dificuldade em expressarmos nossa verdade.

As plantas são grandes mestres e se estivermos dispostas a abrir mão, mesmo que por instantes, de nosso julgamento e pré concepção quanto às suas funções, elas terão universos para nos ensinar. Basta estarmos abertos, receptivos e pacientes.

Nos estudos que faço, por vezes demoro dias para conseguir estabelecer um dialogo de aprendizado, nem sempre estamos prontos para o que esse mistério teria a nos mostrar. Uma “simples planta” tem canais de comunicação tão complexos e vastos que nossa tecnologia atual nem mesmo consegue imaginar um projeto assim.

O caminho é longo, mas elas são pacientes e humildes e entendem que não conseguimos ver além do ‘matinho’ ou do ‘cházinho’ e esperam calmante por nosso amadurecimento para que possamos estar mais aberto a aquilo que ainda é diferente de nós.

Grande abraço,

Stela Kiill